Sinistros.
... Melhorando os resultados! ...

Cálculo dos custos.

Empresas que têm investido em processos de redução de custos com seguradoras, normalmente, optam por duas lógicas principais:

  1. Assistência Técnica Profissional.
  2. Auto Seguro.
Caixa de ferramentas

Assistência Técnica

Profissional

Nesta modalidade, a Transportadora contrata os serviços de Assistentes Técnicos, profissionais, para atuarem como parceiros perante as seguradoras e a justiça.

Para se aplicar esta lógica, as Transportadoras devem avaliar a evolução de suas performances. Esta avaliação demanda a realização de levantamentos, antes e depois de iniciar os trabalhos de sua implantação. Estes levantamentos servirão de base para comparar o retorno da futura implementação deste processo.

Elas devem conhecer bem quais os montantes de sinistros elas estão sendo ressarcidas, pelas seguradoras. E, ainda mais importante, os valores em que elas estão tendo que arcar com os custos, devido à recusa das seguradoras.

Como exemplo, uma empresa recupera 75% com indenizações de seguros e é obrigada a arcar com as despesas dos 25% restantes.

Neste caso, ela deve avaliar qual o montante das indenizações recusadas e sua quantidade. Continuando com o exemplo, digamos que ela tenha R$ 400 mil de gastos com sinistros, incluindo RCF e cargas indenizadas. E que tais valores correspondem a seis acidentes, por ano.

É importante citar que nos 75% dos casos em que a seguradora concorda em indenizar, a Transportadora não necessita realizar o trabalho de Assistência Técnica. Ela realizaria tal trabalho apenas nos casos que a seguradora se recusar ao pagamento, com justificativas técnicas. No exemplo acima, estes casos seriam seis, em um ano.

Com tais dados em mente, ela pode investir na parceria com um Assistente Técnico profissional e tentar reaver digamos 50% deste valor. Ainda continuando com o exemplo, ela teria uma recuperação adicional de R$ 200 mil, por ano.

Aqui ela tem que tomar uma decisão. Compensa o risco de se fazer este investimento?

Esta resposta é simples!

Ela pode fazer este tipo de parceria por um ou dois anos. Findado estes períodos, ela realiza novas avaliações. Caso os ganhos não compensem, ela não precisa continuar com uma parceria destas.

Em caso positivo, ela continuaria a investir neste trabalho de parceria.

Opções de proteção.

Auto Seguro

O Auto Seguro é uma lógica extrema.

Aqui, a Transportadora deixa de contratar uma seguradora e arca com as despesas dos sinistros. Ela banca o seu próprio seguro, fato denominado como Auto Seguro, ou Seguro Próprio.

A lógica que ela deve usar para atuar nesta modalidade é levantar os valores pagos em prêmios e o total de sinistros, tantos os indenizados como os não indenizados, pelas seguradoras.

Ao realizar esta avaliação ela poderá chegar à conclusão de que compensa investir no Auto Seguro, ou seja, ela banca os seguros de suas operações.

Esta etapa de desenvolvimento é mais complexa que a parceria com uma Assistência Técnica Profissional. Ela demanda avaliações de como a Transportadora está se saindo, em suas defesas judiciais, com base nos trabalhos desta parceria.

Contudo, depois de conhecer o trabalho de seu Assistente Técnico, durante algum tempo, e com resultados positivos, ela pode investir nesta modalidade.

Aqui, a empresa não necessita correr todos os riscos, imediatamente. Ela pode começar esta operação com um pequeno lote, como 5 ou 10%, de seus caminhões. Com o passar do tempo, ela irá ganhar experiência de atuação, neste mercado. Com esta evolução, ela planeja o incremento deste percentual, conforme sua conveniência.

Porém, é sempre importante ter em mente que, neste processo, é imperioso que a Transportadora avalie, constantemente, a performance de sua atuação na justiça. É necessário controlar a qualidade do serviço de sua Assistência Técnica. Ela faz isto controlando seu resultado final, que é o percentual de casos vitoriosos, na justiça.

Necessitamos ter em mente que as seguradoras administram cada um dos seus grandes contratos de seguros. Elas estipulam prêmios para que tais contratos deem lucros. Ou seja, elas estão, em média, recebendo mais com os prêmios e aplicações financeiras que gastando com as indenizações das sinistralidades.

O grande mérito desta modalidade de Auto Seguro é incorporar esta parte do lucro das seguradoras ao balanço de resultados das Transportadoras.

Modelos Individuais e Personalizados

Não há, neste momento, um modelo predominante para as empresas que trabalham com estas modalidades de otimização dos custos de seus seguros.

O que predomina, no mercado, são empresas investindo no trabalho visando controlar este processo. Algumas delas estão desenvolvendo metodologias simples, baseadas em controles internos. Elas tomam decisões a partir de avaliações de seus próprios resultados.

Contato

Preencha o formulário:

Telefone:

(11) 9 4779 2211

Ou, envie um email para:

cleber@cleberoperito.com.br